A Bíblia Leitura espiritual

História Bíblica do Filho Pródigo – Lucas 15:11-32

História Bíblica do Filho Pródigo – Lucas 15:11-32
Precisa de orientação e clareza no amor, relacionamento, carreira e muito mais? Clique aqui para obter uma leitura de numerologia personalizada

A história bíblica do Filho Pródigo, também conhecida como a Parábola do Filho Perdido, segue imediatamente após as parábolas da Ovelha Perdida e da Moeda Perdida. Com essas três parábolas, Jesus demonstrou o que significa estar perdido, como o céu celebra com alegria quando os perdidos são encontrados e como o amoroso Pai anseia por salvar as pessoas.

Perguntas para reflexão

Ao ler este guia de estudo, pense em quem você é na parábola. Você é um pródigo, um fariseu ou um servo?

Você é o filho rebelde, perdido e longe de Deus? Você é o fariseu hipócrita, incapaz de se alegrar quando um pecador retorna a Deus? Você é um pecador perdido buscando a salvação e encontrando o amor do Pai?

Você está de pé ao lado, observando e se perguntando como o Pai poderia perdoá-lo? Talvez você tenha chegado ao fundo do poço, recobrado o juízo e decidido correr para os braços abertos de compaixão e misericórdia de Deus. Ou você é um dos servos da casa, regozijando-se com o pai quando um filho perdido encontra o caminho de casa?

Referência das Escrituras

A parábola do Filho Pródigo é encontrada em Lucas 15:11-32.

Resumo da História Bíblica do Filho Pródigo

Jesus contou a história do Filho Pródigo em resposta à queixa dos fariseus : “Este homem recebe os pecadores e come com eles” (Lucas 15:2). Ele queria que seu seguidor soubesse por que ele escolheu se associar com pecadores.

A história começa com um homem que tem dois filhos. O filho mais novo pede ao pai sua parte da propriedade da família como herança antecipada. Uma vez recebido, o filho prontamente parte em uma longa jornada para uma terra distante e começa a desperdiçar sua fortuna em uma vida selvagem.

Quando o dinheiro acaba, uma fome severa atinge o país e o filho se encontra em circunstâncias terríveis. Ele aceita um trabalho alimentando porcos. Eventualmente, ele fica tão desamparado que até deseja comer a comida destinada aos porcos.

O jovem finalmente volta a si, lembrando-se de seu pai. Em humildade, ele reconhece sua tolice e decide voltar para seu pai e pedir perdão e misericórdia. O pai que esteve observando e esperando, recebe seu filho de volta com os braços abertos de compaixão. Ele está muito feliz com o retorno de seu filho perdido.

Imediatamente o pai se volta para seus servos e pede que preparem um enorme banquete em comemoração ao retorno do filho.

Enquanto isso, o filho mais velho ferve de raiva quando volta do campo para descobrir uma festa com música e dança para comemorar o retorno do irmão mais novo.

O pai tenta dissuadir o irmão mais velho de sua raiva ciumenta explicando: “Olha, querido filho, você sempre ficou comigo, e tudo o que tenho é seu.  Tínhamos que comemorar este dia feliz. Pois seu irmão estava morto e veio de volta à vida! Ele estava perdido, mas agora ele foi encontrado! (Lucas 15:31-32).

Temas

Esta seção do Evangelho de Lucas é dedicada aos perdidos. O Pai celestial ama os pecadores perdidos e seu amor os restaura ao relacionamento correto com Deus. Na verdade, o céu está cheio de pecadores perdidos que voltaram para casa.

A primeira pergunta que a história levanta para os leitores é: “Estou perdido?” O pai é um retrato de nosso Pai Celestial. Deus espera pacientemente, com amorosa compaixão para nos restaurar quando retornarmos a ele com corações humildes. Ele nos oferece tudo em seu reino , restaurando o relacionamento pleno com alegre celebração. Ele não insiste em nossa desobediência passada.

Esta terceira parábola une os três em uma bela imagem de nosso Pai celestial. Com o retorno do filho, o pai encontra o precioso tesouro pelo qual havia caçado. Sua ovelha perdida estava em casa. Era hora de comemorar! Que amor, compaixão e perdão ele demonstra!

A amargura e o ressentimento impedem o filho mais velho de perdoar o irmão mais novo. Isso o cega para o tesouro que ele desfruta livremente através do relacionamento constante com o pai.

Jesus adorava sair com os pecadores porque sabia que eles veriam sua necessidade de salvação e responderiam, inundando o céu com alegria.

Pontos de interesse

Normalmente, um filho receberia sua herança no momento da morte de seu pai. O fato de o irmão mais novo ter instigado a divisão precoce dos bens da família mostrava um desrespeito rebelde e orgulhoso à autoridade do pai, além de uma atitude egoísta e imatura.

Os porcos eram animais impuros. Os judeus não tinham permissão nem para tocar em porcos. Quando o filho conseguiu um emprego para alimentar porcos, mesmo desejando que a comida enchesse sua barriga, revelou que ele havia caído o mais baixo possível.

Este filho representa uma pessoa que vive em rebelião contra Deus. Às vezes temos que chegar ao fundo do poço antes de cairmos em nossos sentidos e reconhecermos nosso pecado.

Lendo desde o início do capítulo 15, vemos que o filho mais velho é claramente uma figura dos fariseus. Em sua justiça própria, eles se recusam a se associar com pecadores e se esquecem de se alegrar quando um pecador retorna a Deus.

Versículo-chave

Lucas 15:23–24
‘E mate o bezerro que engordamos. Devemos celebrar com uma festa, pois este meu filho estava morto e agora voltou à vida. Ele estava perdido, mas agora foi encontrado. Assim começou a festa.

 

Avalie este post
[Total: 1 Average: 5]

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
x
Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Também compartilhamos informações sobre o uso de nosso site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise. Política de Cookies View more
Aceitar
Recusar