Crenças e Ensinamentos Leitura espiritual

Visão geral do credo de Atanásio

Visão geral do credo de Atanásio
Precisa de orientação e clareza no amor, relacionamento, carreira e muito mais? Clique aqui para obter uma leitura de numerologia personalizada

O Credo Atanasiano é tradicionalmente atribuído a Santo Atanásio (296-373), de quem leva o nome. (Este credo também é chamado de “Quicumque”, que é a primeira palavra do credo em latim.) Como outros credos, como o Credo dos Apóstolos , o Credo Atanásio é uma profissão de fé cristã; mas também é uma lição de teologia completa, e é por isso que é o mais longo dos credos cristãos padrão.

Origem

Santo Atanásio passou sua vida lutando contra a heresia ariana, que foi condenada no Concílio de Nicéia em 325. Ário era um sacerdote que negava a divindade de Cristo ao negar que havia três Pessoas em um Deus. Assim, o Credo Atanasiano está muito preocupado com a doutrina da Trindade.

Seu uso

Tradicionalmente, o Credo Atanasiano é recitado nas igrejas no Domingo da Trindade, o domingo após o Domingo de Pentecostes, embora raramente seja lido hoje. Ler o Credo de Atanásio em particular ou com sua família é uma boa maneira de levar a celebração do Domingo da Trindade para casa e obter uma compreensão mais profunda do mistério da Santíssima Trindade.

O Credo Atanasiano

Quem quiser ser salvo, deve, antes de tudo, manter a católica; a menos que cada um preserve este todo e inviolável, sem dúvida perecerá na eternidade.

Mas a fé católica é esta, que veneramos um Deus na Trindade e a Trindade na unidade; nem confundindo as pessoas, nem dividindo a substância; pois há uma pessoa do Pai, outra do Filho e outra do Espírito Santo; mas a natureza divina do Pai e do Filho e do Espírito Santo é uma, sua glória é igual, sua majestade é coeterna.

Da mesma natureza que o Pai é, assim é o Filho, assim também é o Espírito Santo; o Pai não foi criado, o Filho não foi criado e o Espírito Santo não foi criado; o Pai é infinito, o Filho é infinito e o Espírito Santo é infinito; o Pai é eterno, o Filho é eterno e o Espírito Santo é eterno; e, no entanto, não há três eternos, mas um eterno; assim como não há três seres não criados, nem três seres infinitos, mas um não criado e um infinito; da mesma forma, o Pai é todo-poderoso, o Filho é todo-poderoso e o Espírito Santo é todo-poderoso; e ainda não há três todo-poderosos, mas um todo-poderoso; assim, o Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus; e, no entanto, não há três deuses, mas há um Deus; então o Pai é Senhor, o Filho é Senhor e o Espírito Santo é Senhor; e ainda não há três senhores, mas há um Senhor; porque, assim como somos compelidos pela verdade cristã a confessar individualmente cada pessoa como Deus e também Senhor, também somos proibidos pela religião católica de dizer que há três deuses ou três senhores.

O Pai não foi feito, nem criado, nem gerado por ninguém. O Filho vem do Pai sozinho, não feito nem criado, mas gerado. O Espírito Santo vem do Pai e do Filho, não feito, nem criado, nem gerado, mas procedente.

Há, portanto, um Pai, não três Pais; um filho, não três filhos; um Espírito Santo, não três Espíritos Santos; e nesta Trindade não há nada primeiro ou depois, nada maior ou menos, mas todas as três Pessoas são coeternas e iguais umas com as outras, de modo que em todos os aspectos, como já foi dito acima, tanto a unidade na Trindade, como a Trindade na unidade deve ser venerado. Portanto, quem deseja ser salvo, pense assim a respeito da Trindade.

Mas é necessário para a salvação eterna que ele creia fielmente também na encarnação de nosso Senhor Jesus Cristo.

Conseqüentemente, é a fé correta, que acreditemos e confessemos, que nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, é Deus e homem. Ele é Deus gerado da substância do Pai antes do tempo, e é o homem nascido da substância de sua mãe no tempo: Deus perfeito, homem perfeito, consistindo de uma alma racional e um corpo humano, igual ao Pai segundo o Seu Divindade, menos do que o Pai de acordo com a humanidade.

Embora ele seja Deus e homem, Ele não é dois, mas Ele é um Cristo; um, entretanto, não pela conversão da Divindade em um corpo humano, mas pela assunção da humanidade na Divindade; absolutamente não por confusão de substância, mas pela unidade de pessoa. Pois assim como a alma e o corpo racionais são um homem, Deus e o homem são um Cristo.

Ele sofreu por nossa salvação, desceu ao inferno, no terceiro dia ressuscitou dos mortos, subiu ao céu, está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso; daí Ele virá para julgar os vivos e os mortos; em Sua vinda, todos os homens devem se levantar novamente com seus corpos e prestar contas de suas próprias obras: e aqueles que fizeram o bem, irão para a vida eterna, mas aqueles que fizeram o mal, para o fogo eterno.

Esta é a fé católica; a menos que todos creiam nisso com fé e firmeza, ele não pode ser salvo. Um homem.

 

Avalie este post
[Total: 1 Average: 5]

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
x
Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Também compartilhamos informações sobre o uso de nosso site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise. Política de Cookies View more
Aceitar
Recusar