Pin It

Definições

Ficar com raiva é um pecado? O que a Bíblia diz sobre a raiva?

Ficar com raiva é muito fácil hoje em dia. Dificilmente passa uma semana que não ficamos chateados com pelo menos três ou quatro coisas.

Milhões de pessoas honestas e trabalhadoras estão indignadas porque suas economias ou pensões foram reduzidas devido aos negócios gananciosos das grandes corporações.

Outros são loucos porque foram demitidos do trabalho. Ainda assim, outros perderam a casa. Muitos estão presos em doenças dolorosas e caras.

Todos esses parecem bons motivos para ser irado.

Nós, cristãos, nos perguntamos: “Está ficando com raiva um pecado?”

Se olharmos através da Bíblia, encontramos muitas referências à raiva. Sabemos que Moisés, os profetas e até mesmo Jesus ficaram com raiva às vezes.

Toda a raiva que estamos sentindo hoje é justificada?

Um tolo dá vazão à sua raiva, mas um homem sábio mantém-se sob controle. (Provérbios 29:11)

Ficar com raiva é uma tentação. O que fazemos depois disso pode levar ao pecado. Se Deus não quer que liberemos nossa raiva, precisamos ver o que vale a pena ficar com raiva em primeiro lugar, e segundo, o que Deus quer que façamos com esses sentimentos.

Veja mais: Como pregar a palavra de deus

Vale a pena ficar com raiva?

Muito do que nos dá trabalho pode ser classificado como irritante, aquelas perturbações que causam muito dano ao ego, que ameaçam nos fazer perder o controle. Mas o estresse é cumulativo.

Empilhe o suficiente desses insultos e estamos prontos para explodir. Se não formos cuidadosos, podemos dizer ou fazer algo do qual nos desculparemos mais tarde.

Deus aconselha a paciência para com esses agravos. Eles nunca vão parar, então precisamos aprender a lidar com eles:

Seja ainda diante do SENHOR e espere pacientemente por ele; não se preocupe quando os homens são bem-sucedidos quando realizam seus esquemas iníquos. (Salmo 37: 7)

Ecoando este salmo é um provérbio:

Não diga: “Eu vou te pagar de volta por este erro!” Espera pelo Senhor e ele te livrará.

(Provérbios 20:22)

Há uma sugestão de que algo maior está acontecendo. Esses aborrecimentos são frustrantes, sim, mas Deus está no controle. Se acreditamos verdadeiramente que, nós podemos esperar por ele para trabalhar. Nós não precisamos pular, pensando em Deus cochilando em algum lugar.

Distinguir entre insignificâncias mesquinhas e injustiça séria pode ser difícil, especialmente quando somos parciais porque somos a vítima. Podemos deixar as coisas fora de proporção.

Alegre-se na esperança, paciente na aflição, fiel na oração. (Romanos 12:12)

Paciência não é nossa reação natural, no entanto. Que tal vingança? Ou guardar rancor? Ou chocar quando Deus não zapear imediatamente a outra pessoa com um relâmpago?

Cultivar uma pele mais grossa para que esses insultos sejam rejeitados não é fácil. Nós ouvimos muito hoje sobre nossos “direitos” que vemos cada pequena, intencional ou não, como um ataque pessoal contra nós.

Muito do que nos deixa com raiva é apenas negligência. As pessoas são apressadas, egocêntricas, preocupadas com seu próprio mundinho.

Mesmo quando alguém é deliberadamente rude, precisamos resistir à vontade de atacar em espécie. Em seu Sermão da Montanha, Jesus diz a seus seguidores que abandonem essa atitude de “olho por olho”. Se queremos que a maldade pare, precisamos dar o exemplo.

Consequências tolas

Podemos procurar viver nossas vidas sob o controle do Espírito Santo ou podemos deixar que a natureza pecaminosa da nossa carne tenha o seu caminho. É uma escolha que fazemos todos os dias.

Podemos nos voltar para o Senhor em busca de paciência e força, ou podemos permitir que emoções potencialmente destrutivas, como a raiva, corram sem controle. Se escolhermos o último, a Palavra de Deus nos alerta sobre as conseqüências.

Provérbios 14:17 diz: “Um homem de temperamento rápido faz coisas tolas”. Provérbios 16:32 segue com este encorajamento: “Melhor um homem paciente do que um guerreiro, um homem que controla seu temperamento do que aquele que toma uma cidade.”

Em resumo, está Tiago 1: 19-20: “Todos devem ser rápidos em ouvir, tardios em falar e vagarosos em irar-se, pois a ira do homem não traz a vida justa que Deus deseja”.

Raiva Justa

Quando Jesus se zangou – com os cambistas no templo ou com os fariseus egoístas – foi porque eles estavam explorando a religião em vez de usá-la para aproximar as pessoas de Deus.

Jesus ensinou a verdade, mas eles se recusaram a ouvir.

Também podemos nos irritar com a injustiça, como matar o feto, tráfico de seres humanos, vender drogas ilegais, molestar crianças, maltratar trabalhadores, poluir nosso meio ambiente … a lista continua.

Em vez de nos preocuparmos com os problemas, podemos nos unir aos outros e tomar medidas para lutar, por meios pacíficos e legítimos. Podemos oferecer e doar para organizações que se opõem ao abuso.

Podemos escrever nossos funcionários eleitos. Nós podemos formar um relógio de bairro. Podemos educar os outros e podemos orar.

O mal é uma força forte em nosso mundo, mas não podemos ficar de braços cruzados e não fazer nada. Deus quer que usemos nossa raiva construtivamente, para combater as más ações.

Não seja um capacho

Como devemos responder a ataques pessoais, às traições, roubos e ferimentos que nos ferem tão profundamente?

“Mas eu lhe digo: não resista a uma pessoa má. Se alguém lhe bater na face direita, volte-se para a outra também.” (Mateus 5:39)

Jesus pode ter falado em hipérbole, mas também disse a seus seguidores que fossem “astutos como cobras e tão inocentes quanto as pombas”.

(Mateus 10:16) Devemos nos proteger sem nos rebaixar ao nível de nossos atacantes. Uma explosão irada consegue pouco além de satisfazer nossas emoções. Também gratifica aqueles que acreditam que todos os cristãos são hipócritas.

Jesus nos disse para esperar perseguição. A natureza do mundo de hoje é que alguém está sempre tentando se aproveitar de nós. Se formos perspicazes mas inocentes, não ficaremos tão chocados quando isso acontecer e estaremos melhor preparados para lidar com isso com calma.

Ficar com raiva é uma emoção humana natural que não precisa nos levar ao pecado – se nos lembrarmos de que Deus é um Deus de justiça e usamos nossa raiva de uma maneira que o honre.

Veja mais: Como pregar a palavra de deus

 

Avalie este post
[Total: 0 Average: 0]

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
x